quinta-feira, 12 de março de 2009

O peso da glória do Senhor

Muita gente afirma categoricamente que não acredita em coisas sobrenaturais. Mesmo os que se dizem cristãos preferem se apegar a algum tipo de ceticismo. Mas como é possível crer em Deus sem crer no sobrenatural?

Ninguém pode, por si próprio, fazer algo que contrarie as leis naturais e físicas, a não ser Aquele que criou tudo o que existe. Se Deus é Espírito é, portanto, sobrenatural. Então por que não desejar ser cheio, embriagado pela ação sobrenatural do Espírito Consolador? Estamos vivendo em dias de unção e a plenitude do Espírito Santo está ao nosso dispor.

Deus quer que experimentemos e vivamos no sobrenatural. Precisamos sentir o peso da glória do Senhor. O que é a glória de Deus? É a presença do Pai. O desejo de Deus é estar presente na vida de seus filhos.

A glória nos atrai, independente daquilo em que acreditamos. Antes de ser levantado como líder do povo a glória de Deus veio na vida de Moisés através de um fenômeno sobrenatural. A glória estava na sarça. “E apareceu-lhe o anjo do Senhor em uma chama de fogo do meio duma sarça. Moisés olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia” (v2).

Atraído e maravilhado disse: “Agora me virarei para lá e verei esta maravilha, e por que a sarça não se queima” (Ex 3:3). Nesse momento ele se “vira” para Deus. O Senhor viu que Moisés estava atraído pela glória e o chamou para fazerem história juntos.

“E vendo o Senhor que ele se virara para ver, chamou-o do meio da sarça, e disse: Moisés, Moisés! Respondeu ele: Eis-me aqui” (v4).

Ele estava embriagado pela manifestação da glória de Deus e respondeu: Eis-me aqui! Deus eu estou aqui! Deus eu quero essa maravilha, essa ação sobrenatural na minha vida! O chamado de Deus na vida dele foi durante a manifestação da Sua glória, enquanto a sarça ardia. Deus disse a ele: “Não te chegues para cá; tira os sapatos dos pés; porque o lugar em que tu estás é terra santa” (v5).

Tirar os sapatos era sinônimo de ser servo, de humildade. Deus estava chamando Moisés para uma nova caminhada, na qual ele precisaria da direção de Deus, e não apenas de si próprio. Moisés tinha que se despir, agora ele era servo e tinha um grande chamado.

Deus se identifica, se apresenta como o Deus dos patriarcas, um Deus de promessas. “Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó. E Moisés escondeu o rosto, porque temeu olhar para Deus” (v6).

Em seguida explicou o chamado para uma liderança sobrenatural. “Então disse o Senhor: Com efeito tenho visto a aflição do meu povo, que está no Egito, e tenho ouvido o seu clamor por causa dos seus exatores, porque conheço os seus sofrimentos; e desci para o livrar da mão dos egípcios, e para o fazer subir daquela terra para uma terra boa e espaçosa, para uma terra que mana leite e mel; para o lugar do cananeu, do heteu, do amorreu, do perizeu, do heveu e do jebuseu. E agora, eis que o clamor dos filhos de Israel é vindo a mim; e também tenho visto a opressão com que os egípcios os oprimem” (v7-9).

Deus é bem claro e direto com Moisés. Ele não estava fazendo uma apresentação sem propósitos. Não era um teatro; era teofania. Deus tinha um objetivo e não apenas fazer algo que prendesse a atenção. A glória de Deus em nossa vida, tem um propósito!

“Agora, pois, vem e eu te enviarei a Faraó, para que tireis do Egito o meu povo, os filhos de Israel” (v10). O propósito de Deus era enviar Moisés para libertar o povo. A glória de Deus em nossa vida é para libertar um povo.

Nessa hora Moisés temeu: “Quem sou eu, para que vá a Faraó e tire do Egito os filhos de Israel?” (v11). De fato Moisés não era ninguém, diante de uma missão tão grande. Ele era apenas um homem comum, pecador e lábios pesados! Já havia até matado um homem e fugido. Mas Deus respondeu: “Eu serei contigo!” (v12b).

Moisés olha para si e vê suas fraquezas. Ele ainda não tinha entendido o peso da glória do Senhor. “Então disse Moisés ao Senhor: Ah, Senhor! eu não sou eloquente, nem o fui dantes, nem ainda depois que falaste ao teu servo; porque sou pesado de boca e pesado de língua” (v10).

Mas o Senhor replicou: “Quem faz a boca do homem? Vai, pois, agora, e eu serei com a tua boca e te ensinarei o que hás de falar” (v11-12). Deus estava chamando Moisés para uma parceria, para juntos fazerem história.

A matemática é a seguinte: GLÓRIA DE DEUS + HOMEM = HISTÓRIA

No deserto a glória de Deus estava presente na nuvem que os protegia do sol escaldante durante o dia e na coluna de fogo para iluminar e os aquecer pela noite (v21-22). A glória de Deus não deixou Moisés sozinho nem um segundo. Era uma parceria: glória de Deus + Moisés. Ele entendeu a matemática: “E disse Moisés: Esta é a coisa que o Senhor ordenou que fizésseis; e a glória do Senhor vos aparecerá” (Lv 9.6).

Você não vai liderar sozinho; a glória Dele está com você! O peso da glória do Senhor anula todo jugo, toda fragilidade, toda incompetência. É a parceria sobrenatural para fazermos história. Peça ao Senhor para vir com o peso da glória Dele sobre você. Mas saiba que ela virá com um propósito. Propósito esse de nos levar a fazer história se estivermos dispostos.

“E os sacerdotes não podiam entrar na casa do Senhor, porque a glória do Senhor tinha enchido a sua casa. E todos os filhos de Israel, vendo descer o fogo, e a glória do Senhor sobre a casa, prostraram-se com o rosto em terra sobre o pavimento, adoraram ao Senhor e lhe deram graças, dizendo: Porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre” (II Cr 7:2-3).
Site MANT Belém

2 comentários:

Eliane Almeida disse...

Maravilha ! Ouvindo a musica vinho novo e lendo sobre a glória de Deus

Kadoshdai53@gmail.com Tenorio disse...

Ótima essa palavra pois nesse momento estou frágil e necessitado da glória de Deus ,obrigado Senhor entendi ...que o peso da tua glória e o que nos sustenta .

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP