segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Não negocie a benção!

O que vale mais? O que é um presente valioso para você? Todos nós recebemos presentes que são inegociáveis, pois são dados diretamente das mãos de Deus. Não são poucas as situações em que ficamos tentados em trocar algo precioso por algo sem valor e perecível.

Esaú achou um ótimo negócio trocar as bênçãos do primogênito por um prato de lentilhas. (Gênesis 25:29-34)

“Jacó havia feito um guisado, quando Esaú chegou do campo, muito casado; e disse Esaú a Jacó: Deixa-me, peço-te, comer desse guisado vermelho, porque estou cansado. Por isso se chamou Edom (vermelho). 

Respondeu Jacó: Vende-me primeiro o teu direito de primogenitura. Então replicou Esaú: Eis que estou a ponto de morrer; logo, para que me servirá o direito de primogenitura

Ao que disse Jacó: Jura-me primeiro. Jurou-lhe, pois; e vendeu o seu direito de primogenitura a Jacó. 

Jacó deu a Esaú pão e o guisado de lentilhas; e ele comeu e bebeu; e, levantando-se, seguiu seu caminho. Assim desprezou Esaú o seu direito de primogenitura
.

Esaú e Jacó eram gêmeos, porém Esaú havia nascido primeiro, sendo portanto o primogênito. A bênção do primogênito era muito valorizada. Direito de primogenitura, segundo o dicionário, vem do grego, PROTOTOKIA (primeiro, tornar-se).

O primogênito tinha: dobro da herança paterna, primeiro entre os seus irmãos, exercícios do sacerdócio entre todos os seus irmãos e descendentes.

Em toda a Bíblia Esaú é apresentado como profano, no original grego a palavra profano significa: mundano, vulgar, sem santidade, fora do templo. Esaú desprezou as coisas santas. Veja que raciocínio estranho o deste homem: “que me aproveitará a primogenitura”?

São palavras que revelam que ele não se interessava pelas coisas de Deus. Ele não valorizava o que era sagrado. A primogenitura lhe era desprezível. As coisas materiais eram mais importantes. Satisfazer seu apetite era mais importante que obedecer a Deus. 

Ele não entendia as coisas do Espírito de Deus, porque lhe pareciam loucura. Sua mente era carnal, imediatista e mundana. Esaú só se interessava pelo presente, ignorando o futuro e as promessas de Deus. Queria apenas satisfazer seus desejos imediatistas, sem se preocupar com os prejuízos futuros. 

Causas da derrota de Esaú

1) Falta de domínio próprio, descontrole em seus impulsos carnais.

2) Por causa de sua inclinação carnal ele foi chamado de “formicário” e “profano”: “e ninguém seja devasso, ou profano como Esaú, que por uma simples refeição vendeu o seu direito de primogenitura” (Hb 12:16).

3) Não respeitava as coisas sagradas.

4) Para Esaú a refeição valia mais que a bênção de Deus! Ele não teve dúvidas em negociar a bênção.

Não permitamos que nossa vida seja governada por impulsos carnais, pois tal comportamento nos levará a derrotas espirituais.

“Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis” (Gl 5:17).

“Como a cidade derrubada, sem muro, assim é o homem que não pode conter o seu espírito” (Pv 25:28).
Site MANT Belém

Nenhum comentário:

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP