sábado, 13 de março de 2010

Fazendo a diferença

Durante o relato da cura de Naamã podemos conhecer, ainda que brevemente, alguém que soube fazer a diferença independente de sua história de vida.

Naamã era capitão do exército do rei da Síria, um homem muito respeitado por todos, que, no entanto, estava tomado pela lepra, uma doença que matava rápido, por não ter cura. Mas havia alguém, dentro de sua casa, que seria um instrumento de Deus para mudar aquela situação:
"E saíram tropas da Síria, da terra de Israel, e levaram presa uma menina que ficou ao serviço da mulher de Naamã. E disse esta à sua senhora: Antes o meu senhor estivesse diante do profeta que está em Samaria; ele o restauraria da sua lepra" (II Reis 5:2-3).
Essa serva, cujo nome não foi citado, foi uma das vítimas das investidas contra o povo de Israel pelos sírios. A Bíblia conta que na época do reinado de Davi os sirios ficaram retraídos. Mas, passado o tempo, eles se fortificaram e frequentemente saqueavam o Norte de Israel.

Nesse contexto aquela menina foi sequestrada e virou serva da esposa do capitão do exército. É uma situação trágica. Em plena infância ela teve seus sonhos destruídos pois foi arrancada da sua casa, do meio dos seus familiares, para servir pessoas desconhecidas, em terra estranha.

Ainda sim ela foi um canal de bênção: "Então foi Naamã e notificou ao seu senhor, dizendo: Assim e assim falou a menina que é da terra de Israel" (v4). Ela tinha inúmeros motivos para ficar calada ou murmurar.

Para sermos uma bênção não importa o nosso contexto, o que passamos, ou se já sofremos uma tragédia. Nem devemos achar que as pessoas não darão valor ao que dissermos.

Antes de reinar em Israel Davi era apenas o caçula entre os oito filhos de Jessé. Três dos seus irmãos foram batalhar contra os filisteus, seguindo o rei Saul. A tarefa de Davi era de ir e voltar para apascentar as ovelhas do pai, em Belém. Quando retornava aos irmãos ele levava alimento. Numa dessas viagens ele foi expiar a batalha e chegou em pleno olho do furacão:

"E, estando ele ainda falando com eles, eis que vinha subindo do exército dos filisteus o homem guerreiro, cujo nome era Golias, o filisteu de Gate; e falou conforme àquelas palavras, e Davi as ouviu.

Porém todos os homens em Israel, vendo aquele homem, fugiram de diante dele, e temiam grandemente" (I Samuel 17:23-24).
Ninguém se atrevia a enfrentar o gigante, mas ao ouvir aquelas afrontas, que feriam o nome de Deus, ele começou a insitar os soldados. Vendo isso o irmão disse:

"... Por que desceste aqui? Com quem deixaste aquelas poucas ovelhas no deserto? Bem conheço a tua presunção, e a maldade do teu coração, que desceste para ver a peleja.

Então disse Davi: Que fiz eu agora? Porventura não há razão para isso?

E desviou-se dele para outro, e falou conforme àquela palavra; e o povo lhe tornou a responder conforme às primeiras palavras. E, ouvidas as palavras que Davi havia falado, as anunciaram a Saul, que mandou chamá-lo" (v28-31).

Davi poderia apenas ter ido entregar a comida aos irmãos. Gente capacitada para batalhar havia, mas ele entendeu que podia fazer a diferença. Para ele era quase impossível lutar, por não ter prática, nem porte físico.

Mas Deus permite a cada um de nós florecermos onde formos plantados: no trabalho corrompido, na família bagunçada, na faculdade louca. Quando Cristo fizer diferença em nossas vidas poderemos fazer diferença por onde formos - com as nossas palavras, com o nosso testemunho.

Deus não está preocupado com o que você foi, mas sim com aquilo que voce pode ser e fazer.
"Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens" (Mateus 5:13).

"Bom é o sal; mas, se o sal se tornar insípido, com que o temperareis? Tende sal em vós mesmos, e paz uns com os outros" (Marcos 9:50).
:: Quer receber os textos do blog por e-mail? Clique
Site MANT Belém

Nenhum comentário:

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP