quarta-feira, 4 de junho de 2008

Uma conversa com...

Pr. Rommhel Almeida

Para muitos trabalhadores é comum o dinheiro conquistado com tanto sacrifício sumir num piscar de olhos. Algumas vezes é resultado do consumismo, desperdício. Para outros o dinheiro será tão escasso quanto a vontade de transformar a situação. Por causa do consumismo desenfreado mesmo aqueles que afirmam viver na Palavra, vira e mexe vão para “listas sujas”, como as do SPC e Serasa. Por outro lado atitudes como dizimar e ofertar viram motivo de indignação, dúvida e constrangimento, colocando a fé à prova.

O Pr. Rommhel Almeida conta que há cerca de doze anos recebeu orientação do Espírito Santo para alertar os filhos de Deus sobre um inimigo ainda subestimado – mamom e demônios gafanhotos, que num ataque sutil e sincronizado destrói não apenas famílias, mas também governos, autoridades, ministérios e igrejas. O assunto é abordado no livro Vida Abundante, que reúne estratégias e nos orienta a clamar a Deus por restituição.

Apesar de não ser uma temática abordada com naturalidade nas igrejas ele aponta estatísticas que revelam que as finanças não devem ser menosprezadas, por se tratar de um campo de batalha espiritual. O Novo Testamento “fala dez vezes mais de dinheiro do que em salvação”, informa. Entre as 28 parábolas de Jesus 16 falam sobre dinheiro. Não que o Salvador estivesse atrás de dinheiro, mas ciente de que “onde estiver o nosso tesouro, ali estará o nosso coração”, lembra.

As barreiras espirituais em finanças, segundo Rommhel, é refletida no descaso vivido por muitos pastores no Brasil. Penalizados por estereótipos impostos aos que vivem para cuidar de vidas muitos pastores afundam financeiramente junto com as igrejas, constrangidos em falar sobre finanças nos cultos. Além de não reforçar o papel dos dízimos, ofertas e primícias, conforme ensina a Palavra, ficam também negligenciadas as armadilhas entorno das finanças, tão presentes no dia-a-dia.

Durante três dias o pastor ministrou em Belém, no Ministério Nova Terra, durante o I Congresso de Avivamento e Prosperidade Financeira, que entre outros ensinou a ver as finanças com olhos espirituais. Rommhel Almeida, 41 anos, é presidente do Ministério Vida Abundante na Bahia, onde reside com esposa e filho. Em sua trajetória já pastoreou e organizou igrejas em várias cidades brasileiras em de países como Portugal, Holanda, Bélgica e Luxembourg.

Casa do Pão: Em que contexto surgiu o livro Vida Abundante?
Pr. Rommhel:
Vi que a igreja não falava muito sobre finanças e por conta disso tive um entendimento e direção de que a igreja não tinha uma vida abundante, não tinha conquistas expressivas porque o povo não rompia nas suas ofertas. Pouco se falava sobre esses assuntos na igreja. A liderança os pastores ficavam muito tolidos de falar sobre finanças na igreja. Então eu vi isso como um desafio e ao mesmo tempo uma revelação, uma direção pra se ter uma vida abundante. Mas para isso nós teríamos que romper com essas estruturas antigas e até mesmo cunho espiritual de batalha, de repreender mamom, e esse tipo de batalha não se vence sem desprendimento, sem renúncia. E daí surgiu o livro Vida Abundante quando eu passei a ministrar, recebendo revelações e fui juntando todo esse material até chegar nesse livro.

Casa do Pão: Por que muitos cristãos ainda negligenciam a vida financeira?
Pr. Rommhel:
É uma quebra de paradigmas porque muitos cristãos, filhos de Deus, até sabem, mas não tomam a posição. E essa negligência acontece porque as pessoas não conseguem ver o que está por detrás. Existe por detrás de tudo isso uma regência espiritual daí eu costumo até dizer que você falar de dinheiro, você está falando de uma coisa espiritual, o dinheiro tem toda uma natureza espiritual. Por exemplo, o dinheiro, quando a pessoa não têm ela se sente insegura, impotente. Mas quando ela tem o dinheiro ele dá aquela sensação de segurança, de poder e até de uma certa forma onipotência. E daí, por conta disso, muitas pessoas ficam travadas, não tem a liberalidade em dar, em fazer a sua semeadura. E aí entra nisso tudo essa resistência espiritual de um principado chamado mamom, que quer dizer “riqueza que se opõem a Deus”. Então tudo o que a pessoa deixa de fazer pra Deus ela faz pra esse outro deus pois são dois reinos antagônicos, opostos entre si: o reino de Deus e o reino de mamom.

Casa do Pão: Muitas pessoas buscam a Deus motivadas por necessidades financeiras. Mas quando essa necessidade passa a ser um empecilho na vida espiritual?
Pr. Rommhel:
A necessidade financeira se torna um empecilho quando ela não devolve a verdadeira adoração o seu ofertar a Deus. Nós temos como exemplo disso as ofertas de Caim e Abel. Abel ele era generoso, foi quebrantado, ele não teve dificuldade de ofertar por isso, mas Caim não, ele tinha ciúmes, soberba, havia muitas resistências. Então eu entendo assim, que muitas pessoas que a vida financeira se torna um empecilho até para ela aceitar Jesus ela precisa passar por um processo de cura, de libertação, de traumas, de feridas na sua alma, emoções distorcidas. Aí ela não consegue realmente. Então a libertação financeira tem êxito porque dentro dela você vai lidar com tudo isso, você vai entrar nos afetos mais íntimos dessa pessoa. E aí você acaba descobrindo que a maioria dessas pessoas teve dificuldades, tiveram rejeições, não conquistaram nada na sua vida. Então quando essas coisas são quebradas e ela começa a ter uma nova visão disso aí se torna mais fácil.

Casa do Pão: Por que não devemos confundir dinheiro com riquezas?
Pr. Rommhel:
São duas coisas distintas porque a riqueza propriamente dita é uma dádiva do Senhor. A riqueza ela vem de Deus. Enquanto que o dinheiro, como a cédula, é algo prazeroso pro homem, há aí uma diferença entre riqueza e dinheiro no aspecto espiritual. As riquezas vêm do Senhor, o dinheiro nasceu com siquel, como era chamado, geralmente de prata para se fazer a troca de mercadorias. E aí se tornou algo em que o homem começou a levantar o seu império, mas é algo que passa, enquanto que o dinheiro pode ser transitório a riqueza já é algo mais permanente.

Casa do Pão: Quando as pessoas passam a se confundir com o que tem?
Pr. Rommhel:
Tudo está no interior há uma palavra na terceira epístola de João, 5, que diz “amado, desejo que tudo te vá bem, assim como é próspera a tua alma”. Agora imagine pegar riquezas, muito dinheiro, propriedades, patrimônios, mansões, enfim e você passar tudo isso pra alguém muito pobre, alguém muito assim pra baixo uma pessoa em que o seu interior ainda está mal resolvido. Ela vai pegar tudo isso e vai desfazer em questão de tempo. Aí o dinheiro se torna uma coisa transitória na vida da pessoa. O segredo está num coração bem resolvido, na alma livre, numa alma curada.

Contatos do Ministério Vida Abundante:
(73) 3525-1436 / 8805-8978
pr_rommhel@hotmail.com
mambita12@hotmail.com
http://www.miva12.com.br/
Site MANT Belém

3 comentários:

Suely disse...

Excelente entrevista. Muito marcante a passagem desse homem de Deus em nossa "Casa do Pão". Espero que volte outras vezes, quero aprender mais.

iraildes disse...

Ele é realmente um homem de Deus, um profeta do Senhor usado para abençoar muitas vidas.Que vc possa aprender mais de Deus através da mensagem escrita no Livro vida abundante e libertação financeira e deixe que o Senhor concretize a prosperidade em todos os setores da sua vida.

Erica Lopes disse...

Pastor Rommhel sou ovelha do Pastor Daniel da igreja Nova geração em são joão de meriti. Quero lhe dizer que mesmo depois de sua palestra aquí na igreja ter sida feita a algum tempo, Deus ainda tem falado muito comigo através do se livro "Vida abundante". tenho aprendido muitos princípios, e tenho visto o quanto vivia errada sem saber... Mais agradeço a Deus pela sua vida, que muito me ensinou, suas liçoês levarei pro resto da vida! Te amo em Cristo Jesus!!! Deus te abençõe muito!

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP