quinta-feira, 3 de julho de 2008

Crônica de uma pia entupida

por João Cruzué

Eu não sou judeu, mas sábado é meu dia de descanso. Posso levantar mais tarde, mesmo acordando mais cedo por causa da Nala, nossa gata angorá, uma espécie de cuco que abre o bico religiosamente às seis da manhã. Meu sábado tinha tudo para ser perfeito até que lembrei-me de da pia da cozinha que estava entupida.

Pias de cozinha são aquelas coisas maravilhosas que ficam discretas por meses e anos, até o dia que entopem para nos chatear. E um detalhe interessante é que existem diversos tipos de defeitos possíveis em pias. Tem a borrachinha, o sumiço do ralo, o vazamento em cima, o entupimento embaixo... e o pior de todos: o cano de esgoto da pia entupido.

Sabe o que é estar tranqüilamente na cama em uma bela manhã de sábado, quando de repente você se lembra de uma pia? Terrível. Pois é, fui logo deixando a cama tão quentinha para fazer uma lista de compras para o conserto e outras coisinhas que uma casa sempre precisa. Calcei o tênis, e aproveitei para unir o útil ao desagradável - caminhar uns dois quilômetros para comprar um sifão novo entre outras coisas.

Troquei o sifão, mas o problema não era o sifão. Era o pior: um entupimento não-sei-onde no cano de esgoto da pia. A cuba de inox estava cheia d'água e não descia nem um milímetro. Entupidaça! Pensei em colocar soda no cano, mas desisti porque alguém já havia tentado isso antes. Tinha um frasco de soda vazio bem perto da pia.

A situação estava em alerta vermelho e eu mudei de tática.

Fui pedir ajuda ao senhor da loja de produtos de limpeza, um tipo sabichão. "Meu filho", disse ele (tenho 52 anos) "Leve este produto aqui; não sei bem o que tem dentro mais desentope o cano da pia. São dois e cinqüenta. Ah! o senhor também põe água quente para "ajudar" o produto.

Usei uma mangueira para despejar o tal produto no cano para atacar bem de perto o entupimento. Um cateterismo no cano da pia. Começou a sair uma fumacinha mal-cheirosa e lembrei-me de por água quente para "ajudar", e esperei mais um pouco. Um xeque-mate? Para ter certeza fiz o teste "São Tomé": abrindo a torneira até encher a cuba.

Nada!

Voltei à loja de material de limpeza para comprar mais um frasco do desentupidor, e aproveitei para reclamar: "O senhor tem certeza de que não estou comprando água verde em vez de desentupidor de pia? Depois de uns 15 minutos de explicações, que o produto no passado era muito forte, mas que por motivo de registro no MS. teve a fórmula abrandada..., voltei para casa com a sensação de que caíra no conto do desentupidor de pia.

O sábado já era! Quatro horas da tarde, e lá estava eu derramando o segundo frasco no cano entupido. Não economizei despejei tudo, e mais água quente. De novo veio a fumaça, e que fumaça! Passou mais meia hora, e "lá vamos nós" para o segundo teste "São Tomé."

Enchi a cuba da pia de novo, mas de repente lembrei-me de um detalhe.--

Ó Jesus, nunca li que o Senhor tivesse desentupido uma pia no Evangelho, e eu nunca me atreveria a pedir uma coisa destas, pois seria com querer transformar "pedras em pães". Mas como eu já aprendi no passado que o Senhor tem bom humor, me ajuda com isto aqui. "Fiz pressão com a mão pela enésima vez no fundo da pia, e cinco segundos depois ouvi aquele barulho escandaloso de sucção: usssshhhhhhhh!

Eu não sabia se ria ou se chorava, mas acabei chorando. Foi minha segunda experiência desse tipo. Eu não sabia que Senhor estivera comigo o dia inteiro. Lembrei que ele veste os lírios, se preocupa com os passarinhos, e também cuida muito bem de nós. Se Ele nos mostra seu amor em coisas tão pequenas, que dirá, pois, nas mais importantes e necessárias?

João Cruzué
SP - 30/06/2008
cruzue@gmail.com

Visite também o blog Olhar Cristão (http://olharcristao.blogspot.com/)
Site MANT Belém

Nenhum comentário:

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP