quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Uma carta para você (4ª)

Mais uma cartinha, para os que terão muito...

Babyzinha,

Não imaginaste que iria esquecer de você nesse fim de ano, né!? Nos anteriores eu até mandaria minhas tradicionais mensagens, desejando coisas boas para os amigos mais chegados. Sempre fiz isso por não ser adepta das mensagens em Powerpoint, com terroristas mensagens de amizade “ai de ti se não reenviar a mensagem para mim”.

Se eu gosto eu gosto, se eu amo eu amo e pronto. Igual em nossa amizade, pois te amei e pronto, no início desse ano (parece até mais tempo). Espero ter contribuído nessa caminhada profissional e pessoal, tanto nos acertos como nos erros. Que você aprenda com tudo isso.

Eu aprendo muito com você. Sei que ninguém é igual a ninguém, mas desejo que Deus me mande mais pessoas como você, e um dia entenderás o porquê. Como disse antes, prefiro as coisas personalizadas, feitas do coração, mesmo que seja para um grupo reduzido. Todos desejam saúde, paz e prosperidade, mas eu continuava com a minha mania de desejar um ano abençoado para todos, notando como elas se surpreendiam ou achavam graça desse gesto.

Não tive tempo, nem o mesmo entusiasmo para preparar algo assim, mas reservei esse espaço para uma cartinha pelo menos. Eu aprendo com você, de verdade, do jeitinho que você é. Comecei o ano querendo muito. Eu queria apenas tudo. Tudo novo, mesmo sem saber que novo seria esse.

Eu não tinha nada. Nada que fosse de valor para tocar o coração de Deus. Mas eu tinha um dedo de vontade de recomeçar essa trajetória. Fiz muita coisa de pouquinho durante esses meses. Um pouquinho aqui, um pouquinho ali. Diante de Deus eu estava quase “lisa”, dentro de mim. Que bom!

É ótimo estar assim, pois um pouquinho já é alguma coisa. Se não fosse esse pouquinho. “Se tiveres fé do tamanho de um caroço de abacate...” Ah, sabes que não é isso! Ele aceita um grão de mostarda. Olha essa forra. Para os que afundam, mesmo quando Jesus diz que podemos caminhar sobre as águas pelo Seu poder, também não falta uma mão para nos puxar.

Quando não consigo lhe traduzir alguns momentos de felicidade é porque o meu pouquinho cresceu mais ainda. Os governantes costumam fazer monumentos e grandes obras para marcar suas gestões. Mas nem todos conseguem ver obras de infra-estrutura e dar valor a elas. Imagine então as obras feitas dentro das pessoas. Foi uma quebradeira aqui dentro, mas está ficando uma beleza.

Quando olho pra você fico feliz, mesmo quando sua testa está franzida. Já vistes um grão de mostarda? Pegue uma lupa. “O qual é, realmente, a menor de todas as sementes; mas, crescendo, é a maior das plantas, e faz-se uma árvore, de sorte que vêm as aves do céu, e se aninham nos seus ramos” (Mt 13:32).

Mais uma parábola. Da mesma forma como os homens da época, vira e mexe podemos nos pegar pensando porque as mensagens de Jesus eram nesse formato. Ele, por sua vez, foi totalmente franco, afirmando que faria assim por ser necessário. Olhos sem ver, ouvidos sem ouvir. Então Ele dá a parábola, ou nos tempos de hoje, desenha.

Quando olhares para mim veja um “pouquinho” que está crescendo, pois há chuva. E não importa o que aconteça. Guarde o seu pouquinho! Nem sempre precisamos querer muito alguma coisa, basta querer um pouquinho, provarmos para desejar ter mais. É assim com o chocolate. Pode ser assim com o que é realmente precioso. Um pouquinho só!

“É impossível te conhecer e não te amar. É impossível te amar e não te seguir”.

Amiga, vamos arrasar em 2009!
Te amamos
MC
Site MANT Belém

Nenhum comentário:

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP