segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Influenciados e Influenciadores

O que é melhor: influenciar ou ser influenciado? Onde vivemos e convivemos cada um de nós atua como receptor de muitas coisas, da mesma forma que transmitimos muitas coisas. Mas a que tipo de coisas estamos atentos, e o que estamos transmitindo?

A influência não é algo superficial. Como a própria origem da palavra, do latim, sugere (in = para dentro; fluere e fluentia = fluir, derramar, correr) . A influência é pode ser uma idéias, uma ação; exercer domínio ao colocar alguma coisa em outras pessoas.

Podemos descobrir o gosto musical de alguém através das roupas, por exemplo, que repetem o mesmo estilo de seus ídolos. O jeito de falar e se expressar, o temperamento e até as piadas surgem de uma influência, boa ou má.

Algumas delas parecem simples, banais, por serem corriqueiras, cotidianas. Só que mesmo as coisas que influenciam dia e noite não podem ser encaradas apenas como “naturais”.

Uma influência constante pode ser uma boa justificativa para que alguém explique por que faz ou age de certa maneira. Poderia ter sido assim com Noé, na época em que Deus viu que “a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente” (Gn 6:5).

Mesmo vivendo num mundo corrompido a família de Noé foi uma excessão, pois andavam com Deus. Por não ter deixado ser influenciado ele foi escolhido e separado para sobreviver e prosperar, pois os demais iriam padecer no grande dilúvio.

As vezes, sem conseguir admitir, as pessoas são totalmente presas e enraizadas a costumes nada agradáveis aos olhos de Deus. Tal qual a poluição atmosférica elas ficam cheias daquilo que é ruim, fisicamente e espiritualmente. Essa visão faz com que ignorem os prejuízos e perigos, a exemplo de Ló. Diante da orientação para abandonar uma região que seria destruída por Deus; as cidades de Sodoma e Gomorra, ele não escondeu seu apego: “Ora, não, meu Senhor!”(Gn 19:18)

Por estarem presos aquela forma de viver a família estava escolhendo morrer. Tudo para que não fosse destruído tudo aquilo que lhes trouxe status, luxo, prazer.

A influência faz as pessoas olharem para trás, perecendo e virando “estátuas de sal”. Do status superficial passará a ser alguém que ninguém mais irá ouvir falar. Mesmo quando a fonte da influência cessa os seus frutos ainda trazem dores de cabeça durante tempo indeterminado. Foi o que, mais tarde, levou as filhas de Ló ao ato insensato para garantir descendência ao pai, o conduzindo ao incesto. O resultado foi a descendência que originou os moabitas e amonitas, origem dos povos que seriam inimigos do povo de Deus por séculos e séculos.

A boa influência

Quando a pessoa tem como modelo de vida os padrões do Senhor, podem ser uma boa influência até depois de morta, a exemplo de homens e mulheres que até hoje são referência para cristãos de todo o mundo.

“Depois morreu Eliseu, e o sepultaram. Ora, as tropas dos moabitas invadiram a terra à entrada do ano. E sucedeu que, enterrando eles um homem, eis que viram uma tropa, e lançaram o homem na sepultura de Eliseu; e, caindo nela o homem, e tocando os ossos de Eliseu, reviveu, e se levantou sobre os seus pés” (II Rs 13:20-21).

Tudo o que fazemos, com intenção ou não, influencia uma rede: pais, filhos, irmãos, amigos, vizinhos; principalmente se a pessoa exerce papel de autoridade. São pessoas que serão copiadas, seja nas qualidades como nos defeitos, aos poucos.

“Os quais, conhecendo a justiça de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem” (Rm 1:32).

Por tudo isso devemos viver plenos do Espírito Santo para receber as boas influências e sermos igualmente uma boa influência.
Site MANT Belém

Um comentário:

♥ Dani Chagas ♥ disse...

Oro para que Deus levante pessoas influenciadoras nesta geração e que mais pessoas sejam influenciadas atravéz deste ministério!!
Jesus abençoe vcs!!
bjoss

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP