sexta-feira, 3 de abril de 2009

Conquistadores em tempos de crise

Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça” (Is 41:10).

A previsão de tempo é taxativa: seca. Quem se arriscaria a plantar nessa situação? Quando a chuva não vem a terra passa da aparência fértil para um chão de poeira. Sem esperança nem meios de sobreviver através do fruto de seu trabalho as pessoas vão abandonando a região. Mas o comando dos céus é outro: “fica”.

O mundo está mergulhado na linguagem da crise. Para muitos a crise na economia mundial já está chegando ao fim. Outros têm certeza que ainda vai piorar. Para outros já é o fim do mundo. Sofrimento é a sombra que acompanha os tempos de crise. O estágio mais crítico é a fome, quando a maioria dos sonhos já morreu, ao avançar das dificuldades.

Muitos vão embora, fugindo do problema. Porém, a chave para vencer é ouvir de Deus. Por causa da crise deixamos de plantar, de regar. Todos querem alimento, sustento. “E havia fome na terra, além da primeira fome, que foi nos dias de Abraão” (Gn 26:1). Mas o melhor lugar para estar é no centro da vontade de Deus, onde a sequidão da crise não nos atinge.

Não desças ao Egito; habita na terra que eu te disser” (Gn 26:2) é a palavra de Deus em tempos de crise. A direção é garantia é clara: Eu vou te abençoar. O Senhor quer que sejamos conquistadores em tempos de crise. Essa é a garantia para os filhos da promessa.

Peregrina nesta terra, e serei contigo, e te abençoarei; porque a ti e à tua descendência darei todas estas terras, e confirmarei o juramento que tenho jurado a Abraão teu pai; e multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus, e darei à tua descendência todas estas terras; e por meio dela serão benditas todas as nações da terra” (Gn 26:3-4).

A Bíblia contém mais de oito mil promessas de Deus para nossas vidas, pois a palavra lançada na vida Abraão, Isaque e Jacó é para o mundo inteiro, ontem e hoje. Antes de pegarmos o corretivo para excluir nosso nome dessa imensa lista devemos receber a promessa de que em tempos de crise devemos alargar fronteiras.

As estrelas são incontáveis e a cada dia surgem novas. Se esse é parâmetro de Deus para exemplificar a infinidade de Seu poder, não coloque limites para o seu crescimento. Deus nos chama para vencer e nos reserva novidade para toda a vida.

Precisamos sonhar com as promessas, começar a semear na seca e cuidar das sementes, uma a uma. Precisamos fazer o melhor na obra de Deus; não murmurar e sim profetizar. Assim poderemos dizer: vou trabalhar, porque tenho promessa. Vou estudar, porque tenho promessa. Serei cabeça e não cauda, porque tenho promessa.

Enquanto os outros vão para seus Egitos os filhos da promessa ficam, marcham e colhem cem por um. Deus vai cumprir Sua palavra. Em plena crise, onde o mundo passava fome, Isaque confiou. Poderia ter sido o pior ano em sua vida, mas: “Enriqueceu-se o homem, prosperou, ficou riquíssimo” (v 14). Em tempos de seca os poços que ele cavava sempre estavam cheios de água, despertando a inveja nos demais. Quando rompemos e avançamos o Inimigo levanta pessoas para entulhar nossos poços. É por isso que devemos proteger nossa alma, nossos sentimentos. Devemos nos afastar do ódio, das feridas, medos, contendas.

A palavra, a promessa, já foi lançada. Nossa parte é semear, mesmo sob nuvens de poeira, mesmo chorando, pois os filhos da promessa terão colheita abundante.

"Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos” (Salmos 126:6).

**Glória a Deus pela palavra trazido através do Apóstolo Bené.
Site MANT Belém

Nenhum comentário:

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP