domingo, 26 de julho de 2009

Tempo de rasgar o coração

“Porque o SENHOR não vê como vê o homem. Pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o SENHOR olha para o coração” (I Samuel 16:7).

Deus olha para os nossos corações, e nós? Se pudéssemos olhar para os nossos próprios corações iríamos descobrir rapidamente o que o Senhor espera de nós. Se pudéssemos ver como Ele vê não perderíamos tempo mostrando para os outros o que nem Deus está interessado em ver. Por estar interessado nos corações Ele expressa a Sua vontade:

“Todavia ainda agora diz o Senhor: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, e com choro, e com pranto. E rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes; e convertei-vos ao Senhor vosso Deus; porque ele é misericordioso e compassivo, tardio em irar-se e grande em benignidade, e se arrepende do mal” (Joel 2:12-13).
Muitos consideram a presença de Deus como certa, a exemplo do próspero povo de Judá que sempre caia em erro, praticando o pecado da idolatria. Deus usou vários profetas para repreender o povo. Algumas vezes o povo se voltava para Deus, rasgavam as roupas e se cobriam com pano de saco, em sinal de humilhação.

Rasgar a roupa nas culturas orientais demonstrava emoções forte como: angústia, tristeza ou remorso. Rasgava-se apenas a parte da frente da roupa, expondo a região do peito. O povo rasgava a roupa, mas continuavam com o mesmo coração.
Mas era tempo do povo rasgar o coração. O povo enfrentava a miséria que veio após a terra ser devastada por pragas de gafanhotos. Em meio a calamidade o profeta conclama os líderes espirituais para guiar a nação ao arrependimento. Joel falou em virtude das duas calamidades naturais e da iminência de uma invasão militar estrangeira.

“Santificai um jejum, convocai uma assembléia solene, congregai os anciãos, e todos os moradores da terra, na casa do Senhor vosso Deus, e clamai ao Senhor” (Joel 1:4).

O propósito de Deus através de Joel era juntar o povo diante do Senhor e exortar o povo a arrepender-se e voltar-se humildemente ao Senhor com jejum, choro e clamor por misericórdia além de registrar a palavra profética ao povo, palavra de ânimo, assim que houvesse genuíno arrependimento.

Foi necessário chamar a atenção do povo para que se reunissem. “Tocai a trombeta em Sião, e dai o alarme no meu santo monte. Tremam todos os moradores da terra, porque vem vindo o dia do Senhor; já está perto” (Joel 2:1).
Essa trombeta é shofar em hebraico. O dia do Senhor é no livro de Joel o dia do julgamento divino. Significa socorro e justificação para os que são de Deus, mas condenação para os que estão longe do Criador.

O que é converter-se? Porque de todo coração? O que é rasgar o coração? “O sacrifício aceitável a Deus é o espírito quebrantado; ao coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus” (Salmo 51:17).

O povo tinha o costume de rasgar as roupas em atitude aparente de arrependimento. Muitas pessoas rasgaram as roupas. Os que condenaram Jesus rasgaram as roupas publicamente, num espetáculo de ira (Marcos 14.63).
Deus queria mais. Mais do que um ato praticamente teatral, símbolo de uma tradição e que já não representava verdadeiro arrependimento. Mas Deus estava pedindo agora um coração rasgado e isso era muito novo e diferente para aquele povo, algo fora do costume deles, Deus não queria mais aparência de arrependimento.

Deus pediu algo novo! Deus usa Joel para chamar o povo para uma atitude real e profunda de arrependimento a verdadeira “metanoia,” palavra grega que significa arrependimento, mudança de mente, mudança de direção, mudança de atitude, mudança de caráter, conversão total e genuína.
É tempo de transgredir, tempo de mudanças profundas. Precisamos aprender com Cristo que transgrediu ao curar no sábado. Que foi além, ao conversar com uma mulher samaritana. Que ultrapassou os costumes ao assentar-se na mesa com pecadores e ao morrer no meio de salteadores.

Devemos ser transgressivos como Abel que não apenas ofereceu um sacrifício, mas foi além e ofertou o que tinha de melhor. Precisamos aprender com Joquebede que ao ver que seu filho era formoso transgrediu e escondeu Moisés por três meses (Êxodo 2:2).
Precisamos aprender com a mulher do fluxo de sangue, que mesmo sendo considerada imunda pelas normas da época, foi além das suas possibilidades, ultrapassou seu limite físico, encarou uma multidão e transgrediu ao tocar nas vestes de Jesus (Marcos 5:25-34).
Há uma promessa de benção para os que se arrependem, para os que rasgam o coração. “Acontecerá depois que derramarei o meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos anciãos terão sonhos, os vossos mancebos terão visões. E também sobre os servos e sobre as servas naqueles dias derramarei o meu Espírito” (Joel 2:28-29).

A promessa para quem rasga o coração é a plenitude do Espírito Santo! Primeiro vem o arrependimento, depois a plenitude do Espírito Santo.

É tempo de transgredir costumes!
Site MANT Belém

Nenhum comentário:

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP