terça-feira, 15 de setembro de 2009

Aprisco ou terraço?

O primeiro é um lugar para recolher os ovinos durante a noite, um tipo de curral. O segundo é um tipo de varanda em andar superior, que dá uma visão privilegiada. Em qual deles você gostaria de estar?
Aprisco e terraço são parecidos com nossa vida espiritual. Não há limites para a nossa vida espiritual, ao não ser quando resolvemos estacioná-la e por tudo a perder.

Davi, o segundo rei de Israel, narrado na Bíblia, conheceu bem esses dois locais.

“E aconteceu que, tendo decorrido um ano, no tempo em que os reis saem à guerra, enviou Davi a Joabe, e com ele os seus servos, e a todo o Israel; e eles destruíram os filhos de Amom, e cercaram a Rabá; porém Davi ficou em Jerusalém” (II Sm 11:1).

Em época de guerra um rei que se presa deveria estar a frente da batalha, lutando ou chefiando. Porém Davi preferiu ficar em Jerusalém. Ele achou que era hora de férias:

“E aconteceu que numa tarde Davi se levantou do seu leito, e andava passeando no terraço da casa real, e viu do terraço a uma mulher que se estava lavando; e era esta mulher mui formosa à vista” (v2).

Enquanto uns lutavam Davi dormia, estava no conforto. O terraço na vida dele simbolizava o reconhecimento de grandes batalhas, daquele que era um grande guerreiro. Mas essa trajetória bem sucedida não iria livrá-lo do tombo.

Atraído pela mulher que se banhava Davi mandou perguntar quem ela era. Mesmo sabendo que Bate-Seba era casada com um de seus funcionários o rei não pensou duas vezes:

“Então enviou Davi mensageiros, e mandou trazê-la; e ela veio, e ele se deitou com ela (pois já estava purificada da sua imundícia); então voltou ela para sua casa. E a mulher concebeu; e mandou dizer a Davi: Estou grávida” (v4-5).

Quando Davi foi chamado pelo Senhor não estava num terraço. Antes de virar um valente guerreiro ele era apenas o caçula de sete filhos, de aparência frágil. O profeta Samuel procurava entre os filhos de Jessé aquele que foi escolhido por Deus para ser ungido. A aparência era o de menos “pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração” (I Sm 16:10).

Davi estava no aprisco: “Disse mais Samuel a Jessé: Acabaram-se os moços? E disse: Ainda falta o menor, que está apascentando as ovelhas” (v11). Mandaram chamá-lo no momento em que cuidava das ovelhas para ser ungido “e desde aquele dia em diante o Espírito do Senhor se apoderou de Davi” (v13).

O Espírito se apoderou dele até o dia do terraço, quando ele estragou o templo do Espírito – o seu corpo. Para consumar o ato Davi teve o cuidado de esperar o fim do período menstrual de Bate-Seba, pois segundo a lei de Moisés a mulher era considerada impura durante esses dias.

Preocupados com a aparência muitos tem a preocupação de cumprir liturgias, para valorizar aquilo que dá para ver. Após o episódio Davi fez de tudo para esconder aquele erro. Em vão já que Deus continuava vendo seu coração.

Ele já havia saído do aprisco – lugar onde nos humilhamos, com cheiro de ovelha. Ele deixou o local de trabalho árduo para se render ao sentimento de descanso, amparado pela posição que havia atingido como líder.

No decorrer do tempo a linguagem mundana tomou o espaço das coisas divinas (pastoreio, ministério). Naquele descanso no terraço tudo o que havia construído durante anos caiu instantaneamente – moral, crédito e a comunhão com Deus.

Nosso caminho até o Senhor é feito mediante a Palavra. “Aquele, porém, que entra pela porta é o pastor das ovelhas. A este o porteiro abre, e as ovelhas ouvem a sua voz, e chama pelo nome às suas ovelhas, e as traz para fora. E, quando tira para fora as suas ovelhas, vai adiante delas, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz” (Jo 10:2-4).

Só seguimos algo que é desejável. É por isso que só se peca por afinidade e vontade de pecar:

“Bem-aventurado o homem que suporta a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam.

Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta. Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência” (Tg 1:12-15).

O aprisco é um local de desconforto, onde se está sujeito a críticas, se perde certas liberdades e privilégios. Lugar onde estão as ovelhas e há muito trabalho a ser feito.

Você está disposto a morar no aprisco?
Site MANT Belém

Nenhum comentário:

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP