terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Crônica – Tudo novo

“... eis que faço novas todas as coisas...” (Apocalipse 21:5).

Já te desejei um feliz ano novo? Se não, faço agora. Já estamos de calendário novo com doze meses novinhos para, como bons brasileiros, continuarmos em busca de um “lugar ao sol”. Quem inventou essa expressão conhecia bem essa meta incansável de ir atrás do nosso espaço, conquistar, dizer ao mundo: olha eu aqui!

Às vezes, pelo menos em Belém, o povo busca um lugar à sombra. Acompanhando a sombra dos postes sempre tem uma fila do povo fugindo do sol escaldante, enquanto o ônibus não chega. Outros entram naquelas filas que dobram quarteirões, para fazer uma aposta, na esperança de acertar os números da megasena da virada.

A maioria pensa que só ganhando uma bolada vai conseguir ser alguém, pois o dinheiro resolveria todos os problemas. Tem gente que nasce e morre sem ser “gente” de fato, pois sem documentos oficiais é como se não existissem. O tempo todo estamos tentando provar a alguém que temos valor, que somos alguém. "Estude pra ser alguém na vida", ensinam os pais.

Quando estamos assim, no comecinho do ano, bate aquela vontade, aquela esperança: vai ser diferente, vai ser melhor. No final vem aquela frustração. Cada ano vira um filme, ondealguns são figurantes vivendo uma eterna reprise. Cadê o meu lugar ao sol?

Pense aí. Quantas pessoas sabem o seu nome? Quantas olham pra você? Quantas te dão valor? Quantas se importam se você está triste ou feliz? Mas existe alguém que:


“... conta o número das estrelas, chamando-as todas pelo seu nome” (Salmos
147:4).

O Senhor, que colocou cada uma das estrelas no céu, as conhece nominalmente. Incrível! Os cientistas dizem que, somente na parte conhecida do universo, existem seis sextilhões de estrelas. Sextilhões!!! E o Senhor chama, cada uma, pelo nome. Quando soube disso meu coração se desmanchou. Esse amor constrange... Ele sabe o meu nome. Ele sabe o teu. Ele olha pra você!

Para Ele ninguém é fulano. Ele chama pelo nome, porque conhece cada um, e seus anseios. É o mesmo Jesus, que chamou Zaqueu pelo nome, para descer daquela árvore e conduzí-lo até sua casa (Lucas 19:5). E, da mesma forma, nos perguntamos: “como ele sabe meu nome?”

Isso acontece porque Ele olha pra nós, mas poucos olham para Ele. Ficamos ocupados demais nessa rotina de buscar o tal "lugar ao sol". Seguimos concentrados em chamar a atenção desse mundo que nos ignora. Vivendo com a mente e o coração blindados demais para dar atenção Aquele que diz:


“... eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou: Escreve, porque estas
palavras são fiéis e verdadeiras” (Apocalipse 21:5).

Ele está dizendo: escreve, pois não é frase de efeito. E não é mesmo! Não é ondinha, não é romã. É a palavra fiel e verdadeira do Rei dos reis.

Escreva, pois Ele sim, faz novas todas as coisas. Todas!

Um feliz ano novo (o verdadeiro)! Jesus te conhece e acredita em você!

Incondicional - Oficina G3

Site MANT Belém

Nenhum comentário:

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP