terça-feira, 28 de outubro de 2008

Cura para a alma

“a outro, fé, pelo mesmo Espírito, a outro, dons de curar, pelo mesmo Espírito” “ (I Co 12:9).


(Salmo 139)
“Senhor, tu me sondas, e me conheces. Tu conheces o meu sentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento. Esquadrinhas o meu andar, e o meu deitar, e conheces todos os meus caminhos. Sem que haja uma palavra na minha língua, eis que, ó Senhor, tudo conheces. Tu me cercaste em volta, e puseste sobre mim a tua mão”. (vs.1-5)

Às vezes, não permitimos que as pessoas nos conheçam completamente por temermos que descubram algo sobre nós que não gostaríamos. Mas Deus conhece tudo ao nosso respeito, até o número de cabelos da nossa cabeça.

“Tal conhecimento é maravilhoso demais para mim; elevado é, não o posso atingir. Para onde me irei do teu Espírito, ou para onde fugirei da tua presença? Se subir ao céu, tu aí estás; se fizer no Seol a minha cama, eis que tu ali estás também. Se tomar as asas da alva, se habitar nas extremidades do mar, ainda ali a tua mão me guiará e a tua destra me susterá. Se eu disser: Ocultem-me as trevas; torne-se em noite a luz que me circunda” (vs.6-11).

Diante de tal conhecimento de Deus, o ser humano só pode, humildemente, reconhecer sua pequenez e limitação de entendimento. Deus conhece todos os nossos pensamentos, motivos, desejos e temores interiores, bem como nossos hábitos. Ele conhece o que fazemos do início ao fim do dia.

“Nem ainda as trevas são escuras para ti, mas a noite resplandece como o dia; as trevas e a luz são para ti a mesma coisa. Pois tu formaste os meus rins; entreteceste-me no ventre de minha mãe. Eu te louvarei, porque de um modo tão admirável e maravilhoso fui formado; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem. Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado, e esmeradamente tecido nas profundezas da terra” (vs. 12-15).

A escuridão serve para esconder um ser mortal, limitado do seu semelhante, mas para Deus não há elemento, no universo, que sejas trevas quando Ele, a luz do mundo se aproxima. “Entreteceste-me no ventre de minha mãe” – (tecer, entrelaçar, intercalar). Deus reage de modo criador e ativo no desenvolvimento da vida humana.

“Os teus olhos viram a minha substância ainda informe, e no teu livro foram escritos os dias, sim, todos os dias que foram ordenados para mim, quando ainda não havia nem um deles. E quão preciosos me são, ó Deus, os teus pensamentos! Quão grande é a soma deles! Se eu os contasse, seriam mais numerosos do que a areia; quando acordo ainda estou contigo. Oxalá que matasses o perverso, ó Deus, e que os homens sanguinários se apartassem de mim” (vs.16-19).

Deus não nos traz a essa vida sem um propósito claro, definido e amoroso. Ele tem planos para cada um dos nossos dias de vida sobre a terra. “E quão preciosos me são, ó Deus, os teus pensamentos!” – É muito bom saber que nosso Deus conhece todas as nossas fragilidades, tribulações, e que Ele provê o nosso sustento, perdão, cura e salvação (I Co 2:9).

“Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho perverso, e guia-me pelo caminho eterno” (vs.23-24).

Oração justa que todo filho de Deus deve fazer, devemos admitir que em nós possa haver algo que desagrade o coração de Deus. Devemos estar prontos a pedir que Deus nos submeta a cura, a libertação, afim de que Seus planos se cumpram em nós.


Leia também

O novo nascimento e a alma (2ª parte)

Sintomas das feridas na alma (3ª parte)

Site MANT Belém

Nenhum comentário:

  © Blogger template Simple n' Sweet by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP